Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Conselho Nacional do Trabalho > Últimas notícias > Fiscalização resgata 13 trabalhadores de situação análoga à escravidão em MG
Início do conteúdo da página

Vídeos

        

Notícias CNT

Fiscalização resgata 13 trabalhadores de situação análoga à escravidão em MG

Empregados foram encontrados em duas carvoarias do município de Ibiá

Brasil tem sétimo mês positivo na geração de empregos

Divulgados nesta quinta-feira, dados do Caged mostram criação de 70.852 novos postos de trabalho com carteira assinada

Atendimento da Previdência e do Trabalho será unificado em 16 cidades

Portaria da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho estabelece que unidades de atendimento descentralizadas funcionarão em conjunto

Empregados foram encontrados em duas carvoarias do município de Ibiá

Treze trabalhadores foram resgatados de condições análogas à de trabalho escravo em duas carvoarias do município de Ibiá, região do Alto Paraíba, em Minas Gerais. A operação ocorreu entre 11 e 18 de novembro e foi conduzida pela auditoria-fiscal do Trabalho da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia com apoio da Polícia Militar do estado e da Polícia Rodoviária Federal.

Os auditores-fiscais constataram que os trabalhadores dormiam em um barracão de lona e madeira coberto com telha de amianto, sem infraestrutura, higiene e privacidade. Em outro, os empregados tomavam banho de água fria há 15 dias devido a problemas nas instalações elétricas. As pessoas resgatadas relataram também que um dos empregadores vendia produtos aos empregados e anotava em uma caderneta os valores, na opinião deles abusivos, que seriam descontados dos salários posteriormente.

Outras irregularidades
Dos 13 trabalhadores, apenas um deles tinha carteira de trabalho assinada. Eles também não recebiam equipamentos de proteção individual para realizar as atividades; nas frentes de trabalho não havia acesso a instalações sanitárias, água potável e local adequado para as refeições; e para as necessidades fisiológicas eram usadas as áreas de mata próximas.

O grupo teve seus contratos de trabalho rescindidos, recebeu atendimento de assistência social e foi encaminhado de volta às suas cidades de origem. Eles também receberam todas as verbas rescisórias, que somam aproximadamente R$ 70 mil, e tiveram as guias de seguro-desemprego especial para resgatado emitidas.

registrado em:
Fim do conteúdo da página