Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Auditores encontram irregularidades na empresa Whirlpool
Início do conteúdo da página
FISCALIZAÇÃO

Auditores encontram irregularidades na empresa Whirlpool

Foram aplicados 44 autos de infração em função de descumprimento da legislação trabalhista

  • Publicado: Quarta, 13 de Junho de 2018, 10h50
  • Última atualização em Quarta, 13 de Junho de 2018, 13h31
  • Acessos: 1646
imagem sem descrição.

Uma equipe de auditores-fiscais do Trabalho de São Paulo deflagrou operação em unidade de Rio Claro da empresa Whirlpool S.A., produtora de fogões e lavadoras de roupas. A ação alcançou 3.234 empregados diretos, além de 453 trabalhadores contratados como temporários e 529 trabalhadores terceirizados.

A ação foi planejada com o objetivo de fiscalizar questões relacionadas à saúde e segurança do trabalhador, com foco principal na ergonomia e saúde ocupacional. Isso porque a fiscalização recebeu informações preliminares relacionadas ao grande número de afastamentos por problemas osteomusculares.

Durante a operação, os fiscais constataram grande número de tarefas manuais realizadas pelos funcionários, com movimento repetitivo, envolvendo ritmo de trabalho, uso de força, posturas prejudiciais, equipamentos inadequados, deficiências na concessão de rodízio e pausas, além de movimentação manual de volumes e peso consideráveis. Todas essas condições contrariam as normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho.

Também foram verificadas situações que não estão em conformidade com a gestão da saúde ocupacional dos trabalhadores. As irregularidades encontradas conflitam com disposições previstas nas NR-17 e NR-7, demonstrando deficiências no gerenciamento das questões relacionadas à prevenção de agravos à saúde dos trabalhadores.

Essas situações geram afastamentos, lesões e doenças ocupacionais. Paralelo a esse cenário, foi detectado que a empresa omitiu um grande número de acidentes de trabalho por deixar de emitir as Comunicações de Acidente do Trabalho (CATs).

Durante a fiscalização, também foram encontradas irregularidades relacionadas a outras normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho e atributos relacionados à jornada, descanso e embaraço à fiscalização do trabalho.

Ao todo, foram aplicados 44 autos de infração em função das irregularidades encontradas. Entre elas, estão a falta de apresentação de documentos e esclarecimentos à fiscalização, jornada sem descanso, descumprimento da NR 4 (Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho), da NR-6 (Equipamento de Proteção Individual – EPI), da NR 7 (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO), da NR-9 (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais - PPRA), da NR-10 (Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade), da NR-13 (Vasos de Pressão e Tubulação), da NR 16 (Atividades e Operações Perigosas), da NR-17 (Ergonomia), da NR 33 (Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados) e da NR-35 (Trabalho em Altura).

Essa fiscalização retrata a necessidade de uma atuação diferenciada dos auditores-fiscais do trabalho no setor. Por isso, a Superintendência Regional do Trabalho de São Paulo (SRT-SP) lançou o Projeto Ergonomia, com o objetivo de intensificar as fiscalizações relacionadas à ergonomia.


Ministério do Trabalho
Assessoria de Imprensa
imprensa@mte.gov.br
(61) 2021-5449

registrado em:
Fim do conteúdo da página