Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Rio Grande do Sul fechou o mês de junho com saldo negativo no emprego formal
Banner Ministério da Economia
Início do conteúdo da página
CAGED

Rio Grande do Sul fechou o mês de junho com saldo negativo no emprego formal

Principais responsáveis pelo desempenho foram o Comércio, a Agropecuária e a Indústria de Transformação

  • Publicado: Terça, 24 de Julho de 2018, 18h52
  • Última atualização em Terça, 24 de Julho de 2018, 18h52
  • Acessos: 224

O mês de junho fechou com saldo negativo no emprego formal no Rio Grande do Sul. Foram fechadas -6.521 vagas, resultado de 76.643 admissões e 83.164 desligamentos. A diferença representou uma variação de -0,26% no número de empregos em relação a maio. Os dados estão no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado pelo Ministério do Trabalho na última sexta-feira (20).

Os setores que mais contribuíram para este resultado foram o Comércio, que fechou -2.132 vagas, a Agropecuária (-1.857) e a Indústria de Transformação (-1.670).


Desempenho Nacional

No Brasil, o emprego formal se manteve estável em junho. Foram registradas no mês 1.167.531 admissões e 1.168.192 desligamentos, que resultaram em um saldo de -661 vagas. Isso representa uma variação de 0,00% em relação ao número total de vínculos empregatícios do Brasil registrados até maio. Com isso, o estoque de empregos do país ficou em 38.212.388.

As atividades que mais criaram vagas foram as ligadas à Agropecuária, que teve saldo de +40.917 empregos, resultantes de 113.179 admissões e 72.262 desligamentos, uma expansão de 2,58%. O segundo melhor desempenho da economia no mês de junho foi o do setor de Serviços Industriais de Utilidade Pública, com saldo de +1.151 postos, resultado de 6.849 admissões e 5.698 desligamentos.

O setor de Serviços ficou estável em junho, com saldo de +589 empregos formais, consequência de 480.517 admissões e 479.928 desligamentos. As demais áreas da economia tiveram desempenho negativo no mês. Foi o caso do Comércio que ficou com saldo negativo em -20.971 vagas, devido às 279.271 admissões e 300.242 desligamentos. Em seguida, veio a Indústria de Transformação, que admitiu 176.249 trabalhadores e desligou 196.719, apresentando um saldo de -20.470 vagas, uma queda de -0,28% em relação ao mês anterior.


Desempenho regional

Quatro das cinco regiões brasileiras tiveram crescimento no emprego formal em junho. No Centro-Oeste foram criadas +8.366 vagas; no Sudeste, +3.612; no Nordeste, +3.581; e no Norte, 930. Apenas na região Sul o saldo foi negativo, com o fechamento de -17.150 postos. Dezesseis unidades federativas registraram variação positiva no emprego e onze, negativa.


Ministério do Trabalho
Assessoria de Imprensa
imprensa@mte.gov.br
(61) 2021-5449

registrado em:
Fim do conteúdo da página