Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Nova Previdência permitirá ao governo ampliar investimentos em outras áreas, afirma Marinho
Banner Ministério da Economia
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Nova Previdência permitirá ao governo ampliar investimentos em outras áreas, afirma Marinho

Secretário especial defendeu o projeto nesta quarta (22) no XIX Seminário Brasileiro do Transporte Rodoviário de Cargas, que ocorre na Câmara dos Deputados

  • Publicado: Quinta, 23 de Maio de 2019, 10h27
  • Última atualização em Quinta, 23 de Maio de 2019, 10h27
  • Acessos: 273

Em discussão na Câmara dos Deputados, a proposta da Nova Previdência terá impacto positivo nas camadas mais pobres da população, afirmou nesta quarta-feira (22) o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho. Ao participar do XIX Seminário Brasileiro do Transporte Rodoviário de Cargas, em Brasília, ele destacou que o sistema atual impede o governo de investir em áreas essenciais à sociedade.

Em 2019, a previsão do Ministério da Economia é que o gasto com Previdência e Assistência consuma R$ 903 bilhões, valor correspondente a 64,8% do orçamento da União. No mesmo período, o governo federal terá R$ 35 bilhões para investimentos, R$ 132 bilhões para saúde e R$ 122 bilhões para educação - um total de R$ 289 bilhões.

O secretário lembrou que a proposta do governo prevê também contribuições mais justas dos trabalhadores e cobranças mais rígidas aos devedores. “A Nova Previdência combate fraudes, cobra os grandes devedores e pressupõe equidade para todos participarem. Todos terão que contribuir. Quem tem mais contribuirá com mais, quem tem menos contribuirá com menos”, afirmou.

Para Marinho, a reestruturação do sistema previdenciário dará segurança jurídica e previsibilidade aos governos federal e estaduais. “Só no estado do Rio Grande do Norte existem quatro folhas de pagamento atrasadas. Uma dezena de estados vieram a Brasília, no Ministério da Economia, para dizer que se não tiver uma recuperação do equilíbrio fiscal não poderão fazer pagamentos de aposentadorias, pensões e salários dos servidores públicos que representam 10 milhões de brasileiros”, contou o secretário.

 

Ministério da Economia
Secretaria Especial de Previdência e Trabalho
Assessoria de Imprensa
Kamila Rodrigues
imprensa@mte.gov.br
(61) 2021-5449

registrado em:
Fim do conteúdo da página