Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Marinho prevê círculo virtuoso na economia com aprovação da Nova Previdência
Banner Ministério da Economia
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Marinho prevê círculo virtuoso na economia com aprovação da Nova Previdência

Secretário de Previdência e Trabalho diz que aprovação da reforma é primeiro passo para uma agenda que vai permitir a retomada de investimentos que trarão emprego e renda ao país

  • Publicado: Quinta, 23 de Maio de 2019, 10h29
  • Última atualização em Quinta, 23 de Maio de 2019, 10h29
  • Acessos: 612

A aprovação da Nova Previdência pelo Congresso Nacional é fundamental para estabelecer um círculo virtuoso que permitirá a retomada do crescimento da economia brasileira, garantiu nesta quarta-feira (22) o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho. Ele participou do seminário Previdência - por que a reforma é crucial para o futuro do país?, realizado pelos jornais Correio Braziliense e Estado de Minas, em Brasília.

Marinho afirmou que esse círculo virtuoso inclui a desoneração da folha de pagamento do governo; o estabelecimento de um novo pacto federativo, em que os recursos serão realocados nos estados e municípios; uma reforma tributária que permitirá o crescimento e o empreendedorismo no país; e uma melhor distribuição das políticas públicas, de acordo com as reais necessidades da sociedade. Na avaliação dele, isso trará previsibilidade para a economia brasileira, que se tornará mais atrativa a investidores brasileiros e estrangeiros e ampliará as oportunidades de emprego e renda para a sociedade.

O secretário lembrou que, de acordo com pesquisas de opinião, quase 60% dos brasileiros entendem que há necessidade de se reestabelecer a normalidade do sistema previdenciário. Ele acrescentou que a população mais fragilizada – “que é a grande maioria” – está sentindo na pele os problemas da falta de investimentos do Estado em áreas essenciais como a segurança pública, por exemplo. “Essa falta de segurança pública é exatamente a falta de capacidade do Estado, não de pagar o salário do policial mas de dar condição para que o policial exerça na plenitude a sua função”, destacou.

Quebrar o círculo - Segundo o secretário de Previdência e Trabalho, o governo federal há seis anos está indo ao mercado vender títulos da dívida pública, estabelecendo o que ele chama de círculo vicioso. “Quando você compra títulos da dívida, você espera que o Estado, no futuro, cumpra com a sua obrigação. Isso vai confinando o orçamento e diminuindo a capacidade discricionária do Estado brasileiro de prover essas ações que interessam ao conjunto da sociedade brasileira. A gente tem que quebrar esse círculo vicioso”, afirmou.

A expectativa é de que esse círculo seja quebrado, com a aprovação da Nova Previdência e o estabelecimento do círculo virtuoso que fará a economia crescer. “Tenho plena convicção de que essa pauta foi incorporada pela sociedade brasileira. Ela não é uma pauta de governo, ela é uma pauta de Estado, é uma pauta da sociedade. E como tal está sendo tratada com o Parlamento com muita responsabilidade”, disse Marinho.

 

Ministério da Economia
Secretaria Especial de Previdência e Trabalho
Assessoria de Imprensa
Daniel Hirschmann
imprensa@mte.gov.br
(61) 2021-5908

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página