Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Caged: Mato Grosso abre 4.125 novas vagas de emprego em agosto 
Banner Ministério da Economia
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Caged: Mato Grosso abre 4.125 novas vagas de emprego em agosto 

 Indústria de Transformação e Serviços foram os setores que mais se destacaram na geração de postos de trabalho 

  • Publicado: Quarta, 25 de Setembro de 2019, 18h46
  • Última atualização em Quarta, 25 de Setembro de 2019, 18h46
  • Acessos: 240

Em agosto, o emprego formal teve saldo positivo em Mato Grosso. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quarta (25) pela Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, foram abertas 4.125 novas vagas com carteira assinada. Foram 35.144 contratações e 31.019 demissões no estado.

Dos oito setores econômicos, seis contrataram mais que demitiram. Indústria de Transformação e Serviços se destacaram no mês com, respectivamente, 1.416 e 1.249 novos contratos de trabalho. Também aumentaram vagas os segmentos Extrativa Mineral, Comércio, Agropecuária e Construção Civil. (Confira tabela.) 

Desempenho Nacional 

No Brasil, o emprego formal ficou positivo pelo quinto mês seguido. Em agosto, a expansão foi de 121.387 vagas, decorrente de 1.382.407 admissões e de 1.261.020 desligamentos. O resultado é equivalente à variação de 0,31% em relação ao estoque no mês anterior. Foi o melhor agosto no Caged desde 2013.

No acumulado de 2019 foram criados 593.467 novos postos, com variação de 1,55% do estoque. No mesmo período de 2018 houve crescimento de 568.551 empregos, uma variação de 1,50%. Nos últimos 12 meses foram criados 530.396 empregos, uma variação de 1,38%. No mesmo período do ano anterior, o saldo foi de 356.852, representando um crescimento de 0,94%.

Segundo o Secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, "é importante enfatizar que se trata do melhor resultado para o mês de agosto desde 2013. Na condição de indicador antecedente, o CAGED sinaliza a recuperação gradativa do emprego e do crescimento econômico, após um primeiro semestre repleto de desafios. Na nossa perspectiva, a Construção Civil é o melhor exemplo da consistência da retomada, com cinco meses consecutivos de saldos positivos de emprego".

registrado em:
Fim do conteúdo da página