Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Pará gera 5.297 empregos com carteira assinada em setembro
Banner Ministério da Economia
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Pará gera 5.297 empregos com carteira assinada em setembro

 Economia paraense respondeu por mais de 50% das novas vagas da região Norte

  • Publicado: Quinta, 17 de Outubro de 2019, 21h03
  • Última atualização em Quinta, 17 de Outubro de 2019, 21h03
  • Acessos: 387

O Pará terminou setembro com saldo positivo de 5.297 empregos com carteira assinada, refletindo 25.479 contratações e 20.182 desligamentos. Os dados são da mais recente edição do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgada nesta quinta-feira (17) pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

O destaque no mês foi a Indústria de Transformação, com 1.386 novas vagas, e o Comércio, com 1.136 empregos formais. A região Norte, como um todo, gerou 9.352 empregos formais no mês passado. Ou seja, o Pará respondeu por mais da metade do saldo positivo de toda a região no período, indica o Caged.

Desempenho nacional

O Brasil gerou 157.213 vagas de empregos formais em setembro. É o melhor setembro desde 2013, quando foi registrado resultado positivo de 211.068 vagas. Pela primeira vez no ano, todas as 27 unidades da federação apresentaram resultado positivo na oferta de vagas formais de trabalho, aponta o Caged.

No acumulado dos nove primeiros meses de 2019, o país tem a geração de 761.776 empregos, o que representa elevação de 1,98% no estoque total (que atingiu 39.172.204 empregos formais ao final de setembro deste ano). Nos nove primeiros meses do ano passado, o Brasil tinha gerado 719.089 novos empregos. O resultado acumulado entre janeiro e setembro deste ano, portanto, é 6% melhor que o de igual período do ano passado.

O emprego formal teve resultados positivos em sete setores econômicos em setembro e saldo negativo em apenas um setor. Os setores com números positivos foram Serviços (+64.533 vagas); Indústria da Transformação (+42.179); Comércio (+26.918); Construção Civil (+18.331); Agropecuária (+4.463); Extrativa Mineral (+745) e Administração Pública (+492). O único setor com resultado negativo foi o de Serviços Industriais de Utilidade Pública (-448 vagas).

registrado em:
Fim do conteúdo da página